Tuesday, 30 August 2016

Homenagem a Toots Thielemans no Café op 2 em Almere



No passado dia 22 à noite, estivemos no Café Op 2 em Almere, para uma homenagem ao jazzista belga Toots Thielemans, que falecera nesse mesmo dia, durante o sono, aos 94 anos.

A entrada para o espectáculo foi gratuita, como são sempre as entradas para todas as actividades que o Op 2 costuma organizar, sejam as sessões de jazz ou as noites de tango ou de salsa, por exemplo. Jan van Sikkeleras e o escultor Patrick Mezas (1954, Curaçao) estão à frente deste projecto, que, desde o ano passado, tem dado um forte e significativo contributo para a dinamização cultural da cidade.

Uma vez que o espectáculo começava às 20h, optámos por jantar lá. Éramos os únicos a fazê-lo, até chegar outro cliente que também pediu um hambúrguer (a esta hora, por cá, já quase toda a gente jantou por volta das 18h30). O hambúrguer, com ovo estrelado, lembrou-nos os hambúrgueres do extinto Abracadabra, no Rossio, em Lisboa, e ficou mais do que aprovado, claro está (até porque a carne era melhor também). ;-)

As duas fotos abaixo foram tiradas pelo meu marido com o telemóvel.





Esta foi tirada por mim, mas a câmara do meu telemóvel não é tão boa.




O meu marido filmou também uma pequena parte do espectáculo. Espero que gostem. Geniet ervan! Enjoy!




Monday, 29 August 2016

A Belle Époque e o Estilo Arte Nova em De Haan, Bélgica


Na sequência deste post:

De Haan, na Bélgica, encantou-me com a sua arquitectura. 

Gostaria de voltar lá novamente, não só para uma tarde de praia e um pequeno passeio como desta primeira vez, mas com mais disponibilidade e demora. Numa próxima, a ver se passo no posto de turismo e encontro algum livro ou guia sobre a história de cada um destes belos exemplares da arquitectura da Belle Époque. Há também edifícios Art Deco, como o do Hotel Astoria (1930).

A vida nas ruas também me entusiasmou. Movimentada, sem ser caótica ou suja.

Uma boa escolha de Einstein, que viveu lá 6 meses, em 1933, quando deixou a Alemanha Nazi. 

Estas fotografias foram tiradas no bairro De Concessie, onde se podem admirar muito edifícios da Belle Époque ( datados à volta de 1900).










Gostei especialmente dos edifícios em Arte Nova.

Do lado direito, uma farmácia ( "Apotheek").



Um Joalheiro ( "Juwelier") e uma Farmácia ("Apotheek")



Estação: " De Haan aan Zee"



Junto à praia, também há bonitos edifícios



Uma vista da praia



Em memória de Toots Thielemans, o músico belga que trouxe a harmónica para o jazz, e que faleceu no passado dia 22 de Agosto. 

Neste video, em 1969, com Elis Regina, numa canção de Tom Jobim, que associo sempre a férias e a praia, "Wave".


Saturday, 27 August 2016

No Festival do Mundo em Almere e uma voz: Karsu


E depois das compras, o nosso sábado continuou assim:

Beber um Kir Royal na esplanada do nosso café preferido da cidade.

Ir ao Festival do Mundo, no centro da cidade.

Dançar ao som da Karsu, uma cantora e compositora holandesa, nascida em 1990.



Receber o convite da C. e do I. para irmos ao Festival de Comida Indonésia em Wassenar.

Passear pelas bancadas de artesanato do mundo.




Comprar um colar de vidro marítimo.

Admirar as estatuetas dos artesãos de Burkina Faso.




Chegar a casa.

Falar com os vizinhos.

Comer figos.

Dormir a sesta.

Jantar amêijoas no quintal.

Ouvir Nina Hagen.

E depois as trovoadas, lá fora.

E mais um bocadinho de Karsu.


Friday, 26 August 2016

E ontem vi navios em Katwijk aan Zee...


Ontem, em Katwijk aan Zee...

Esta praia vicia-me...

Foi só hora e meia, mas foi tão bom...








Com votos de bom fim-de-semana!!

Ela é punk, ela é ópera, ela é jazz...Ela é a inconfundível, the one and only Nina Hagen!! ;-))




Thursday, 25 August 2016

Silhuetas em Katwijk aan Zee


 Ontem, num dia de sol, entre as 17h00 e as 20h15, em Katwijk aan Zee

O mar plácido das tuas águas como uma planície liquida.

O vento quente no meu corpo como um afago do deserto.

A água fresca que corria entre as minhas mãos e as minhas pernas.

E ao mesmo tempo, o toque quente daquele vento do deserto nos meus ombros e nos meus braços, no meu rosto e nas minhas costas.

Os cães, sim, os cães a brincar no mar azul.

E na areia que parecia do deserto.

Entre gaivotas, pousadas no mar e em terra.

E já no final da tarde, as silhuetas naquele rasgo de sol, no mar.






Para o meu marido, que me deu a conhecer Lisa Ekdhal, quando começámos a namorar e me convidou, ontem, inesperadamente, para irmos à praia. ;-)




Wednesday, 24 August 2016

A caminho das praias do Norte da Bélgica



Ao olhar para o mapa e constatando a proximidade de Bergen op Zoom da Bélgica, sugeri ao meu marido que, em vez de irmos a uma das nossas conhecidas praias da Zelândia, como estava inicialmente conversado, fôssemos antes visitar uma praia do país vizinho. Há muito que desejava conhecer as praias da costa norte da Bélgica, especialmente duas delas, que andavam na minha mira há longo tempo: De Haan e Het Zoute. A primeira por ter sido um referência de veraneio na época da Belle Époque e pela sua arquitectura em Estilo Art Nouveau, a segunda por a praia me parecer especialmente bonita e ser a Saint-Tropez cá de cima (estava curiosa por ver a arquitectura das casas). Inicialmente, o meu plano consistia em partir no sábado de manhã e começar o passeio pelo destino mais longínquo, a bonita cidade medieval de Veurne, onde morreu uma filha do nosso primeiro rei, Dom Afonso Henriques: Teresa de Portugal, Condessa da Flandres. Tinha pensado em almoçarmos por lá, visitar o centro histórico e seguir depois para as praias, a caminho de Bergen op Zoom. Mas além de termos saído com uma hora de atraso em relação ao previsto ( o objectivo inicial era deixar o hotel às 10h30), ainda apanhámos uma fila que nunca mais acabava e muito demorada na autoestrada (continuo sem saber a razão da mesma) e acabámos em estradas secundárias, pelo meio de vilarejos, onde andámos por volta de 3 horas e tal, e ir directamente para De Haan. Valeu o pequeno-almoço ter sido muito bom e os vilarejos oferecerem mansões que eram um regalo para a vista. Não fotografei, porque íamos em andamento, em estradas estreitas, onde passavam grandes tractores, mas acho que nunca vi tanta mansão na minha vida (e os Países Baixos não têm exactamente falta de mansões nesses campos por aí fora). Veurne ficará para uma próxima e a praia de Het Zoute também. Ainda vi as brutais mansões desta última (andámos de carro a passear no meio delas) e demos uma espreitadela na praia que me pareceu mais engraçada que a De Haan, embora esta, como localidade, me tivesse atraído muito mais, entre a arquitectura do período da Belle Époque, a simpatia das pessoas que nos atenderam e o ambiente muito tranquilo, familiar e, de certa forma, mais vivido entre ruas, diria.

O nosso almoço a meio da tarde na praia De Haan: mexilhões, claro. ;-)




Mais fotografias nos próximos posts.


Tuesday, 23 August 2016

O Catolicismo e a devoção a Maria nas ruas de Bergen op Zoom: alguns registos


Gevangenpoort  (antiga prisão), na qual se pode observar uma escultura de Nossa Senhora com o Menino ao Colo




Fachada de um edifício na Kruisweg (O Caminho da Cruz)



A religiosidade na toponímia



Anjos em baixo-relevo de um edifício da Lievevrouwestraat (Rua de Nossa Senhora) junto à Kruisweg



Imagem da Virgem Maria com o Menino ao Colo na esquina de uma rua.
 Algo muito comum no Sul dos Países Baixos, de maioria Católica



Uma bandeira azul relativa à procissão de Nossa Senhora (Ommegang) que tem lugar no mês de Agosto



A antiga Igreja da Virgem (De Maagd) situada junto à praça principal da cidade, o Grote Markt, e que hoje funciona como Teatro e casa de espectáculos